Publicado em 07/12/2017 08:19:04

Crônica: Há esperança

Temos o prazer de publicar uma crônica do escritor Antonio Fais

Crônica: Há esperança
Antonio Fais é escritor

Antonio Fais

 

O ser humano é esquisito: vai chegando o final de ano e ele se enche de esperança de que o ano novo vai ser diferente. Há um alívio apressado para que acabe dezembro, uma alegria tênue de mudança.

Todos querem mudar de atitude, de pensamento, mas isso não dura janeiro. E descobrimos que ninguém muda o que pensa, nem o que é, nem o que faz.

De fato, existe uma única coisa em que você pode mudar: o que fala.

Tudo que sobrevive no mundo real, precisa ganhar vida no mundo da palavra.

No mundo real só existe o agora. É no mundo da palavra que existem o ontem, o hoje e o amanhã. Se você mudar o que fala e o que cala, mudará o que pensa e o que faz.

Mesmo que tenha razão, corte as lamúrias. Não reclame mais dos colegas, do patrão, dos empregados, dos filhos, dos pais, nem dos políticos.

Mesmo que certo, acabe com a maledicência e não fale mais da vida de ninguém. Você vai perceber que seu silêncio perante as fofocas funciona como alho para afastar os vampiros.

Há uma esperança se cada um for menos peremptório e mais lacônico. (Se você foi ao dicionário, há uma esperança. Aproveite e deixe-o na sala de visitas!).

Há uma esperança quando entender que você é o que pensa, você é o que fala, você é o que cala!

Comentários

Mais Notícias

Página 1 de 687