Publicado em 20/04/2017 17:19:30

Divulgada lista de alimentos irregulares apreendidos pela operação carne fraca

Após pedido do Instituto, Senacon envia informações sobre marca, lote e prazo de validade dos produtos fraudados

Divulgada lista de alimentos irregulares apreendidos pela operação carne fraca
Carne fraca: lista divulgada
No último dia 10, a Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) respondeu a um pedido do Idec e enviou uma lista com o informações detalhadas sobre os produtos alvos da Operação Carne Fraca. Além das marcas, o documento especifica lote, data de validade e os problemas encontrados em cada um deles. (CLIQUE E CONFIRA A LISTA)
 
De acordo com o documento, foram abertas investigações em relação a 23 empresas até o momento, entre elas BRF, JBS (da marca Friboi), Peccin e Seara. Entre os produtos com  irregularidades há salsichas, linguiças, hambúrgueres e frangos congelados. A Senacon determinou o recolhimento cautelar de todas as mercadorias consideradas fraudadas.
 
O Idec espera que os produtos considerados fraudados já estejam fora do mercado, contudo, alerta os consumidores a permanecer atentos.
 
“Com essas informações, o consumidor será capaz de verificar se comprou um produto fraudado ou não. Por meio do SIF [Serviço de Inspeção Federal] e do lote, ele conseguirá identificar na prateleira se aquele produto está na lista e comunicar à gerência do estabelecimento para que o retire imediatamente do ponto de venda”, afirma Ana Paula Bortoletto, nutricionista do Instituto.
 
Caso localize alguma mercadoria listada à venda, além de informar o gerente, é importante entrar em contato também com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e com a Senacon. Se tiver algum produto em casa, a orientação é entrar em contato com o Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC) do fabricante do produto para exigir a imediata substituição ou a restituição da quantia paga, monetariamente atualizada.
 
Problemas encontrados
 
Entre os problemas identificados lista, há irregularidades que não representam risco para a saúde, como o uso de ácido sórbico/sorbato, amido e carboidratos acima do permitido. Porém, eles prejudicam o consumidor na medida em que pioram a qualidade do produto, já que há menos carne do que se imagina. O mesmo ocorre no caso de adição de água. 
 
Já os produtos com presença de salmonella representam risco à saúde, assim como de staphylocccus coagulase. 
 
Fonte: IDEC 
 
Foto: Ueslei Marcelino/Reuters

Comentários

Mais Notícias

Página 1 de 642