Publicado em 13/08/2017 00:26:21

Por que um vereador tem que sempre que estar na porta da Santa Casa?

A saúde sempre sendo um fardo

Por que um vereador tem que sempre que estar na porta da Santa Casa?

Mais um caso de problemas no atendimento na Santa Casa levou um vereador para a porta do pronto socorro do hospital na noite de ontem, sábado, 12. A paciente teria vindo de Rio Claro e precisaria de atendimento em São Carlos, porém teriam ocorrido problemas para que isso acontecesse no hospital, o que levou o vereador Leandro Guerreiro para a porta do hospital mais uma vez.

Se o sistema de saúde no Brasil funcionasse, não existisse o empurra-empurra entre quem vai atender determinado paciente, talvez não precisássemos ver vereadores sempre na porta de um hospital como a Santa Casa de São Carlos, ainda mais no grau de fúria com que se encontrava o vereador Leandro Guerreiro que perdeu as estribeiras num vídeo que publicou nas redes sociais contando o caso ao qual foi chamado para atender. A versão do vereador foi pesada.

A família que busca atendimento para a paciente que está, segundo eles, em estado desesperador não consegue ver no momento o que poderia estar atravancando um atendimento (a dor, que é compreensível, é grande demais), o que ela precisa é apenas buscar essa mínima esperança de que ver a doente entrar pela porta do hospital e ser atendida por um profissional de saúde que tente lhe aplacar nem que for minimamente, o seu quadro crítico.

Não dá, em minha simplória análise, para discutir questão burocrática num momento delicado como esse e também aqui não tiro a pressão a qual está submetido o profissional médico, pois ele vive “sentado” num verdadeiro barril de pólvora que são as emergências e urgências brasileiras como é o caso do Serviço Móvel de Urgência (SMU) da Santa Casa de Santa Casa de São Carlos e precisa decidir em poucos minutos como será um atendimento que pode salvar uma vida, ou seja, a situação é tensa para os dois lados.

O vereador Leandro Guerreiro está cumprindo seu papel de atender a população e mostrou mais uma vez via internet como é o desespero de uma família que precisa de atendimento no Sistema Único de Saúde do Brasil e esse caso abordado pelo parlamentar não é exclusivo de São Carlos, de Rio Claro (de onde a paciente teria vindo), de Araraquara, Ribeirão Preto, Franca ou São Paulo, mas sim das mais diversas localidades no Brasil, a saúde, infelizmente só é prioridade durante entrevistas coletivas dos políticos que sempre prometem investimentos e melhoria do sistema, quando na prática vemos o povão sofrendo. Isso um dia tem que acabar, não quero discutir o mérito de quem está certo ou errado, o que posso entender de tudo isso é que uma paciente precisava com urgência de atendimento médico no país onde isso não faz parte das prioridades governamentais.

Até quando o povo que usa o SUS viverá assim? Essa pergunta deve ser respondida pelo prefeito (gestor da saúde em São Carlos), pelo governador (gestor da saúde no Estado de SP) e pelo presidente da República (responsável pelo SUS no Brasil).

Renato Chimirri

Comentários

Mais Notícias

Página 1 de 642