Publicado em 16/05/2017 08:24:40

São Carlos apresenta sistema de laser que será usado no tratamento de câncer e de procedimentos vasculares

Questionado quanto ao custo do equipamento Bagnato disse que a plataforma foi desenvolvida em São Carlos e por isso o custo foi menor

São Carlos apresenta sistema de laser que será usado no tratamento de câncer e de procedimentos vasculares
Pesquisador apresentou equipamento

O professor e pesquisador do Instituto de Física da USP de São Carlos (SP), Vanderlei Bagnato, apresentou nesta segunda-feira (15), ao secretário municipal de Saúde, Caco Colenci, o novo equipamento adquirido com recursos do município, por meio do Centro de Ciência, Inovação e Tecnologia em Saúde de São Carlos (CITESC), uma iniciativa desenvolvida por diferentes Instituições de Pesquisa e que vai coordenar a inovação desenvolvida pelos pesquisadores na área de saúde, canalizando as pesquisas aprimoradas para o setor produtivo.

O equipamento apresentado por Bagnato faz parte do projeto, porém como o prédio do CITESC não está finalizado, a Prefeitura vai fazer um termo de cessão ao Instituto. “É uma plataforma multifuncional, onde poderemos fazer testes utilizando laser, fluorescência ou LED, seja para tratar ou detectar doenças. Estamos entregando hoje, juntamente com a Prefeitura, para a sociedade o primeiro resultado do investimento realizado pelo Governo Federal, via Fundo Municipal de Saúde. Esse equipamento pertence ao CITESC, mas estará disponível para todos que irão fazer provas de princípio ou pesquisa clínica. São Carlos é a cidade que mais desenvolve equipamentos na área médica. Esse, por exemplo, vai detectar vários tipos de câncer, além do câncer de pele, de colo de útero, de boca, de assoalho de boca, entre outros, também vai servir para tratar vasos, auxiliando os médicos vasculares, além de atuar na oftalmologia”, explica o pesquisador.

Questionado quanto ao custo do equipamento Bagnato disse que a plataforma foi desenvolvida em São Carlos e por isso o custo foi menor. “O equipamento têm 400 lasers terapêuticos, 4 lasers de agulhamento para terapia fotodinâmica, 2 lasers de diagnóstico, ele custaria muito caro no exterior, mas como foi fabricado aqui, custou pouco mais de R$ 200 mil”.

Para o secretário de Saúde o importante é essa interação com as universidades. “As pesquisas efetivamente serão usadas em benefício da população. È um custo ínfimo em razão do benefício que vai trazer para a qualidade de vida das pessoas. Quero deixar claro, em nome do prefeito Airton Garcia, que a Prefeitura é parceria no desenvolvimento dessas tecnologias. O importante é acelerar a transferência de resultados de pesquisas científicas em áreas médicas e farmacêuticas para a sociedade”.

Caco Colenci também vez uma visita ao prédio do CITESC, instalado no complexo do Parque Eco-Tecnológico Damha, na rodovia engenheiro Thales de Lorena Peixoto (São Carlos/RibeirãoPreto). “Inicialmente seriam construídos 4.794 m2, porém o projeto foi revisto e o prédio tem 3.900 m2, mas ainda faltam recursos para o acabamento. Vou levar o projeto para Brasília e vamos correr atrás dessa verba que falta para finalizar essa obra. Não podemos admitir que um projeto tão importante, não só para São Carlos, não seja finalizado”, ressaltou Caco Colenci.

São Carlos recebeu recursos, em 2011, no valor de R$ 4,8 milhões do Ministério da Ciência e Tecnologia, via Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), para construção do prédio, e R$ 1,8 milhão do Ministério da Saúde, para compra de equipamentos e materiais.

A ideia é que o CITESC, depois de pronto o prédio, mantenha uma equipe e estrutura para apoiar programas como indústrias médicas, farmacêuticas e de instrumentação, para produção de medicamentos e equipamentos tecnológicos de uso médico em larga escala. O Centro também deve, simultaneamente, prestar serviços à comunidade por meio das tecnologias desenvolvidas, tendo como “vitrines” para os equipamentos o Hospital Universitário e a Santa Casa.

Imagens

Comentários

Mais Notícias

Página 1 de 668